Advogada é presa após ser flagrada tentando entrar em presídio de Palmas com TV recheada de celulares e outros ilícitos

0
15

A advogada foi conduzida para a Delegacia da Polícia Civil juntamente com todos os objetos apreendidos

 

Uma advogada que não teve a identidade divulgada foi presa em flagrante nessa quarta-feira (13), por policiais penais na Casa de Prisão Provisória de Palmas – CPPP, após ser flagrada tentando entrar na Unidade Prisional com uma televisão recheada de aparelhos celulares, carregadores, seguetas, além de outros objetos.  De acordo com informações apuradas pela Agência Tocantins, o aparelho de TV seria entregue para um detento que é cliente da advogada.

Ainda segundo apurou a reportagem, os objetos foram encontrados dentro da televisão, após passar pelo procedimento de revista no aparelho de raio-x realizado pela equipe da Polícia Penal, responsável pelo plantão dessa quarta-feira (13) da CPP.

Foto: Divulgação

Após encontrar os objetos, foi dada voz de prisão à profissional e posteriormente foi conduzida juntamente com o aparelho de TV e demais objetos apreendidos à Delegacia da Polícia Civil para os procedimentos cabíveis em lei.

Vale ressaltar, que a equipe da Polícia Penal responsável pela condução da advogada à delegacia da Polícia Civil, respeitou às prerrogativas garantidas em Lei à todos os advogados.

A reportagem tenta contato com a defesa da profissional para falar sobre o assunto, porém, até a publicação dessa reportagem nossa equipe não havia tido êxito.

Em nota, a Ordem dos Advogados do Brasil – OAB seccional Tocantins, por meio da Procuradoria de Prerrogativas, informou que está acompanhando o caso do incidente envolvendo uma advogada nesta quarta-feira (13) no Núcleo de Custódia e Casa de Prisão Provisória de Palmas – NCCPPP.

Segue abaixo a íntegra da nota

A Procuradoria de Prerrogativas da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Tocantins informa que está acompanhando de perto o incidente ocorrido nesta quarta-feira, 13, na Casa de Prisão Provisória de Palmas (CPP) envolvendo uma advogada. Até o momento, a Procuradoria esclarece que a advogada foi conduzida à delegacia como testemunha do caso e liberada após prestar depoimento. Desde que foi comunicada do fato, a OAB/TO acionou imediatamente a Procuradoria de Prerrogativas para acompanhar o caso para preservar os direitos da advogada.

Por: Alessandro Ferreira | Agência Tocantins