Após representantes de moradores do Jardim Taquari irem a Defensoria Pública do Estado do Tocantins (DPE-TO) para denunciar a falta de água em parte da quadra T-33, a BRK Ambiental apontou o roubo de água com as causas para a oscilação do serviço prestado.

Segundo os moradores, o problema já perdura mais de 120 dias com oscilações graves, pois o fornecimento de água é interrompido durante todo o dia, tendo água apenas no período de meia-noite até pouco antes das 5 horas da manhã.

Conforme a reclamação dos moradores ao Núcleo Aplicado das Minorias e Ações Coletivas de Palmas (Nuamac Palmas), o problema da falta de água atinge também outras quadras na região com mais de 500 famílias, contudo, o problema mais grave é registrado em parte da quadra T-33. “Nas outras quadras durante o dia ainda tem o fluxo fraco de fornecimento de água, mas aqui na quadra a gente pode deixar a torneira de água aberta o dia todo que não sai nem um pingo”, comenta Gutemberg Vieira, morador da T-33.

A área em que está ocorrendo o problema é devidamente regularizada e, conforme os moradores, após a regularização do fornecimento de água na área denominada “Capadócia – Pinheirinho Vive”, também localizada na T-33, o problema se tornou constante. Apesar de o problema perdurar mais de 4 meses, Gutemberg Vieira conta que ainda paga em média R$ 80,00 por mês de conta de água. “A minha mulher levanta 2 horas da manhã para lavar roupa, banhos só de madrugada, temos que perder horas de sono para reservar água para fazer comida e consumir durante o dia, enquanto pagamos caro por uma coisa que não estamos
utilizando. É humilhante demais”, indigna-se.

Diante da denuncia, a Defensoria Pública do Tocantins, por intermédio do Nuamac Palmas, oficiou a BRK Ambiental/Saneatins a fim de obter mais informações acerca dos motivos que estão prejudicando o fornecimento de água na área e quais providências estão sendo tomada para solucionar o problema.

O ofício é assinado pela defensora pública Letícia Amorim, coordenadora do Nuamac Palmas, foi protocolado na terça-feira, 29, e estipula o prazo de dez dias para respostas. “A falta de água atinge diretamente a dignidade humana, prejudicando necessidades básicas como alimentação, higienização e água potável para o consumo”, comenta a Defensora Pública.

Autorização

A autorização às empresas Saneatins e Energisa realizarem ligações de água, esgoto, energia elétrica e iluminação pública da área intitulada Capadócia, localizada na Quadra T-33 Jardim Taquari, foi emitida pelo Governo do Estado e Prefeitura de Palmas ainda em junho de 2016, após  mais de dois anos de espera.

Situada no extremo Sul da Capital, a Capadócia conta com diversas casas populares inacabadas, frutos de obras do PAC – Programa de Aceleração do Crescimento, em parceria com o governo estadual. No local, habitam cerca de 400 pessoas, dentre crianças, jovens, adultos e idosos em situação de carência de recursos básicos.

BRK aponta fraudes

Em nota, a BRK Ambiental disse que “a parte regularizada da Quadra T-33 tem o seu abastecimento prejudicado por fraudes, ligações irregulares (gatos) e outras irregularidades que já foram apontadas pela empresa às autoridades, que ocasionam oscilação no serviço e prejudicam o serviço aos moradores”.

De acordo com a concessionária a situação será apresentada a DPE “buscando um plano para resolução dos problemas apontados”.

A empresa ainda pede que caso os moradores notem problemas em seu abastecimento, entrem em contato através do 0800 6440 195 para que as equipes de verificação sejam enviadas.

Fonte

(Com informações da Ascom DPE e T1Notícias)


Compartilhar:

Deixe seus Comentario