O relatório circunstanciado da 1ª Delegacia de Polícia Civil de Araguaína descarta a ocorrência de crime de extorsão no episódio em que abordou Luís Olinto Rotoli – irmão do deputado estadual Olyntho Neto (PSDB) – com R$ 500 mil em espécie, porém, ainda vê possibilidade de delito eleitoral. A corporação considera “rasa” a alegação do advogado sobre a destinação do dinheiro e também não vê “indicativos que a comprovem”.

LEIA MAIS

— Irmão de Olyntho é detido com R$ 500 mil em dinheiro ao sair de banco
— Coligação de Carlesse diz que Amastha deveria explicar Nosotros, Jogo Limpo e “rombo” do PreviPalmas
— “Pega ladrãozinho”, diz Amastha, que chama Olyntho de “braço direito” de Carlesse

Luiz Rotoli foi detido após a Polícia Civil atender a uma denúncia de extorsão. O irmão de Olyntho Neto estava em carro da Assembleia Legislativa do Tocantins (ALTO) quando foi abordado, junto com motorista Edilson Ferreira, assessor militar da Casa de Leis. À PC, o advogado negou que os R$ 500 mil fossem para campanha eleitoral, mas sim para compra de gado. “Entretanto, [Luiz Rotoli] disse que não detinha contato com nenhum vendedor, que ficaria com o valor em casa e que compraria no futuro”, descreve o relatório.

Após diligências e concluindo haver possibilidade de crime eleitoral, os envolvidos – Luiz Rotoli e Edilson Ferreira -, toda a quantia monetária e aparelhos celulares foram encaminhados à Polícia Federal de Araguaína para análise e deliberações da Justiça Eleitoral.

Clique para ler o relatório circunstanciado da PC.

Doações
O Sistema de Divulgação e Contas Eleitorais (DivulgaCand) coloca Luiz Olinto Rotoli Garcia de Oliveira na lista de doadores de Olyntho Neto (PSDB), entretanto com a pequena quantia de R$ 3.954,00, que representa apenas 3,96% dos R$ 99.616,00 arrecadados parcialmente pelo tucano candidato à reeleição.

Nota à imprensa
“O deputado Estadual e candidato à reeleição Olyntho, está neste momento cumprindo intensa agenda de campanha no interior do Estado.

O deputado esclarece que o Sr. Luiz, é empresário, advogado e que todas as atividades que exerce são independentes e têm origem lícita, e não possuem vínculo algum com a campanha eleitoral.

Qualquer fato referente ao irmão do deputado será esclarecido pelo mesmo.


Compartilhar:

Deixe seus Comentario