A passagem fronteiriça entre o Egito e a Faixa de Gaza, geralmente fechada, será aberta por três dias a partir de sábado (18), mas as autoridades limitarão a passagem aos casos humanitários registrados no ministério do Interior, segundo uma autoridade palestina.

O porta-voz do ministério de Interior da Faixa de Gaza, Iyad al Bozum, enclave governado pelo movimento islamita Hamas, afirmou à AFP que a passagem de Rafah, a única que liga o enclave com o mundo exterior e que não é controlada por Israel, será aberta no sábado.

Apenas os casos humanitários, registrados no ministério de Interior, terão autorização para atravessar a fronteira, o que diz respeito a cerca de 20 mil pessoas, acrescentou.

A passagem de Rafah está há quase dois anos quase que permanentemente fechada.

A Faixa de Gaza sofre um rígido bloqueio israelense há 10 anos. Israel anunciou três guerras contra o Hamas, que governa o enclave desde 2007.

Porém, em outubro, as faixas rivais palestinas, o islamita Hamas e o laico moderado Fatah, chegaram a um acordo de reconciliação que estipulou que o movimento islamita entregasse o poder relativo ao enclave à Autoridade Palestina, no dia 1º de dezembro.

A Autoridade Palestina retomou o controle no dia 1º de novembro, do lado palestino, nas passagens fronteiriças com Israel e Egito.

O acordo interpalestino foi estimulado pelo Egito e tem como objetivo concreto a abertura de maneira mais regular da fronteira.

O Egito receberá uma reunião interpalestina no Cairo, no dia 21 de novembro, para discutir as próximas etapas da reconciliação palestina.


Compartilhar:

Deixe seus Comentario