Torre de alta tensão da Energisa está escorada com postes e MPE diz que há risco de cair sobre casas

0
118

Justiça deu 48 horas para a concessionária e o município arrumarem a torre. Linha de transmissão fica em área residencial de Colinas do Tocantins. Torre de alta tensão está escorada com dois postes de concreto
@colinasnoticias2/Divulgação
A Justiça deu prazo de 48 horas para a Energisa e a Prefeitura e Colinas do Tocantins resolverem a situação de uma torre de alta tensão que está colocando moradores em risco. A estrutura foi atingida por um caminhão há quase um mês e atualmente está escorada com postes de concreto.
Compartilhe no WhatsApp
Compartilhe no Telegram
Segundo o Ministério Público, há risco iminente de desabamento. A Energisa afirmou que não comenta decisão judicial, mas já fez análise da torre e não há risco de queda (Veja nota completa abaixo) O g1 pediu posicionamento da Prefeitura de Colinas, mas não houve resposta.
O acidente envolvendo a torre de transmissão de energia aconteceu no dia 26 de outubro. A estrutura fica em uma pequena rotatória no bairro no Bairro Araguaia II. Naquele dia os cabos de transmissão chegaram a encostar-se à rede de distribuição, causando falta de energia.
A Energisa chegou a informar que havia mandado profissionais para substituição e reparos da estrutura.
Apesar disso, imagens publicadas nas redes sociais pela página @colinasnoticias2 nesta quarta-feira (22) mostram que a torre apenas foi escorada por dois postes de concreto.
Risco de desabamento
Torre de transmissão ficou danificada após ser atingida por caminhão
Divulgação
A decisão que deu prazo para regularização da estrutura saiu após uma ação civil pública do Ministério Público do Tocantins (MPTO). Segundo a demanda, a estrutura danificada coloca em risco a vida de mais de 35 moradores que vivem abaixo da rede elétrica.
A decisão determina que a Energisa e o Município realizem, pelo menos, a instalação adequada da torre e garantam proteção suficiente a fim de evitar rompimento dos cabos de energia elétrica ou queda da torre e da fiação. A preferência é pela retirada da rede do local.
Uma vistoria feita pelo Ministério Público apontou que a torre está torta, com ferros amassados e enferrujados. Também foi certificado que o solo do local está encharcado e fofo, causando risco iminente de desabamento.
“Caso a torre venha a cair, fará um número expressivo de vítimas fatais, pois o lado em que ela está pendendo tem muitas casas, como evidenciam registros fotográficos do local”, diz o relatório.
A ação também afirma que os moradores estão assustados e com medo de possíveis acidentes com a rede, pois em dias de chuva e vento já presenciaram explosões e curtos-circuitos.
O que diz a Energisa
A Energisa está ciente e em contato com todos os órgãos competentes. A empresa não comenta decisão judicial, mas reforça que a torre já foi submetida a uma análise, procedimentos técnicos e conta com laudo de inspeção que garante a plena segurança da estrutura e que não há risco de queda.
A Concessionária informa também que uma agenda entre o Ministério Público do Estado e a concessionária está prevista para os próximos dias com o objetivo de apresentar todas as informações pertinentes sobre o caso.
Todas as medidas necessárias para garantir a segurança da população foram prontamente implementadas, assegurando também a continuidade do fornecimento de energia para os clientes da região.
📱 Participe da comunidade do g1 TO no WhatsApp e receba as notícias no celular.
Veja mais notícias da região no g1 Tocantins.

Fonte: G1 Tocantins